18 de Outubro – Dia Mundial da Menopausa

O dia 18 de Outubro foi o escolhido pela Sociedade Internacional da Menopausa e oficialmente reconhecido pela Organização Mundial de Saúde como o Dia Mundial da Menopausa.

A data foi criada com o intuito de alertar as mulheres para as mudanças que acontecem tanto a nível físico como psicológico, incentivando-as na procura de um especialista que as ajude a passar por esta fase da vida feminina de forma mais tranquila e serena.

O climatério é definido pela Organização Mundial da Saúde como uma fase biológica da vida e não uma doença, que compreende a transição entre o período reprodutivo e o não reprodutivo da vida da mulher. A menopausa é portanto, um marco dessa fase, em que ocorre a amenorreia (ausência de menstruação) com a duração de pelo menos um ano, por perda da atividade folicular ovariana, e para a qual não existe outra causa patológica ou fisiológica óbvia. Na mulher portuguesa, a menopausa natural verifica-se, em média, entre os 45 e os 55 anos de idade.

O término da capacidade reprodutiva pode ser encarado por algumas mulheres como o início do envelhecimento e da decadência física e mental, interferindo no bem-estar e na qualidade de vida. É crucial um bom acompanhamento da mulher, principalmente pelos profissionais de saúde, que devem estar sensíveis para toda a sintomatologia e alterações que poderão ocorrer, para que assim, consigam apoiar, vigiar e promover a saúde e o bem-estar das mulheres.

Sintomatologia associada à menopausa

Os sintomas que a maioria das mulheres experiência durante a menopausa, devem-se principalmente à carência de estrogênio.

A curto prazo:

  • Afrontamentos e suores (episódios súbitos de sensação de calor na face, pescoço e parte superior do tronco)
  • Alterações de humor;
  • Irritabilidade;
  • Ansiedade;
  • Tonturas;
  • Dor de cabeça;
  • Diminuição da libido

A médio prazo:

  • Atrofia urogenital (estreitamento e ressecamento da mucosa que reveste a vagina), que em muitos casos, torna dolorosa a relação sexual;
  • Alterações na pele, que perde o vigor, nos cabelos e nas unhas, que ficam mais finos e quebradiços;
  • Alterações na distribuição da gordura o corpo: o tecido fibroglandular mamário é substituído por tecido adiposo que também se deposita mais na região abdominal;
  • Perda de massa óssea que frequentemente leva à osteoporose;
  • Risco aumentado de doenças cardiovasculares.

Tratamento

Atualmente, o tratamento mais recomendado para amenizar os sintomas da menopausa é a terapia de reposição hormonal, de estrogénio e progesterona. Podem ser administrados em forma de géis, adesivos ou comprimidos.

No entanto, os sintomas negativos da menopausa, podem também ser reduzidos com a aquisição de certos hábitos como alimentação saudável, atividade física regular, não fumar e evitar o consumo de álcool.

A questão da osteoporose pós-menopausa deve ser encarada de forma assertiva. É essencial que a mulher procure o despiste da doença de forma a atuar o mais precocemente possível.

“ A vida é como andar de bicicleta, para ter equilíbrio, tem de se manter em movimento.”

Albert Einstein

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *