14 de Novembro – Dia Mundial da Diabetes

    A diabetes é uma doença crónica que se carateriza por uma elevada quantidade de glucose (mais conhecido como “açúcar”) no sangue.

    Existem dois tipos de diabetes: a diabetes tipo I e a diabetes tipo II.

   Na diabetes tipo I, há uma destruição das células do pâncreas responsáveis pela produção de insulina. Esta forma é menos frequente e surge, normalmente, durante a infância ou adolescência.

    Já na diabetes tipo II, que é a forma mais comum, o pâncreas é capaz de produzir insulina. Contudo, devido ao estilo de vida pouco saudável, tona o organismo resistente a essa insulina.

    O tratamento passa, maioritariamente, por uma dieta equilibrada e adequada, bem como a prática de exercício físico, e muitas vezes combinado com medicação.

    A insulina pode também ser necessário em casos mais avançados. O objetivo é o controlo da glicemia, isto é, a quantidade de açúcar presente no sangue.

    A diabetes apresenta sinais e sintomas muito típicos, tais como a sensação de sede e fome, vontade de urinar com elevada frequência, visão turva, cansaço.

    Ao nível da cavidade oral, apresentam xerostomia (mais conhecido como “boca seca”) e doença periodontal (isto é, doença que afeta as gengivas e o osso).

    Assim, a diabetes está intimamente relacionada com a saúde oral.

    Tal como referido anteriormente, a boca seca é um dos sintomas presentes, o que pode causar problemas dentários uma vez que a saliva ajuda a manter a cavidade oral saudável.

    Para além disso, as pessoas com este sintoma usam frequentemente pastilhas e rebuçados (com açúcar) para promover uma humidificação, o que aumenta o risco de cáries.

    Também a doença periodontal, uma complicação comum da diabetes, carateriza-se por uma infeção de baixo grau das gengivas e osso que, inicialmente, não causa dor, mas que, se não for tratada, pode evoluir para dor, sangramento constante das gengivas, mobilidade dentária que cursará com perda dentária.

    De maneira a combater o risco de desenvolver doenças orais, o diabético deve apresentar uma higiene oral excelente, devendo também consultar o médico dentista para exames frequentes.

    Concluindo, apesar da diabetes ser uma doença a que as pessoas dão pouca importância (pensando que os fármacos são capazes de “resolver tudo”, há muitas complicações que surgem a médio-longo prazo, sendo primordial a prevenção das mesmas, tendo o médico dentista um importante papel!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *